Uma visão Criacionista

Seja bem vindo

A ciência e seus limites

Na minha leitura do livro Origens de Ariel A. Roth que é PhD em biologia, me deparei com uma frase que me proporcionou uma profunda reflexão. O livro que está muito longe de ter um caráter religioso, abordou muitas questões que as pessoas acabam passando desapercebidas em relação a Ciência. Por isso transcreverei aqui tal frase do livro muito interessante: “A ciência tem sido tão bem-sucedida que podemos esquecer que ela tem limites.”.
É notável que a ciência tem um papel de grande importância para as nossas vidas, podemos ver por exemplo que a ciência nos proporcionou desde medicamentos até bombas nucleares. Isto deixa o homem extremamente admirado diante da grande capacidade da ciência, porém muitos acabaram esquecendo que apesar de tudo isso a ciência é LIMITADA.

Veja por exemplo que quando a discussão é em torno de conceitos morais tais como: amor, bem e mal, consciência, liberdade de escolha e muitos outros, vemos como a ciência não tem uma explicação que seja ,de fato, convincente. Isso se consolida ainda mais quando falamos da teoria darwiniana que aponta a sobrevivência do mais apto. O que não poderia explica, por exemplo, como animais de espécie diferentes se “ajudam” como o exemplo de uma cadela que recentemente adotou filhotes de gato em Goiânia (e isso não é nenhuma novidade) ou o que leva um cachorro a correr vários quilômetros para chamar ajuda para salvar o seu dono de um incêndio como aconteceu nos EUA. Tudo isto desbanca o principio darwiniano da sobrevivencia do mais apto, da "guerra" pela sobrevivencia entre as espécies.

A ciência apesar das “respostas” que concedeu a humanidade se depara com um grande problema em responder certos tipos de perguntas, isso tudo porque a ciência sempre tenta responder “como” e nunca o “porquê” das coisas. Está ignoração dos “porquês” faz com que a ciência não seja de fato a solução para todos os mistérios do Universo.

São inegáveis os grandes benefícios científicos, no entanto é preciso analisar que existe na ciência uma parte boa e uma parte ruim. Negar toda a ciência é completa ignorância, porém aceita-la como uma verdade absoluta tem o mesmo resultado quanto à da primeira posição. Como afirmou Jesus Cristo "Provai todas as coisas, retei o que é bom".

3 comentários:

Alexandre disse...

Excelente!

Anônimo disse...

Se a ciência não responde questões suficientes, é porque ainda não deu tempo de responder TODAS AS LACUNAS de questões sobre o mundo. E óbvio que isso é meio difícil, sendo que existem tantas coisas a serem explicadas.
Mas a religião responde muito menos que a ciência, isso é fato. É só aplicar a ideia de "Deus" em qualquer resposta e você acha que está solucionado. Pra mim isso é uma acomodação, só porque não há uma explicação científica AINDA.
Deus serve como tapa-buracos nessa história.

George disse...

Deus não é um “tapa-buracos” para os Criacionistas. Pelo contrario o Criacionismo “mescla” a Ciência com os ensinamentos bíblicos. Apesar de a idéia de que a Bíblia se opõe aos ensinamentos científicos ser amplamente propagado pela mídia, isso não é verdade. O Criacionismo é = conhecimento científico + teologia bíblica.
O problema não é a ciência, o problema é acreditar que a ciência tem todas as respostas. Fazendo da ciência uma espécie de “religião”. A ciência tem limites e isto se evidencia ainda mais quando falamos de assuntos em relação a valores morais. Neste prisma percebemos o quanto existe a necessidade de um Deus, não um “tapa-buracos”, mas sim um Deus que pós em nós atributos morais semelhantes ao dele, apesar disso estar sido modificado gradualmente com a entrada do pecado. Como afirmou o Prêmio Nobel de química D. H. R. Barton: “Deus é a Verdade. Não existe incompatibilidade entre ciência e religião. Ambas buscam a verdade.”.

Postar um comentário

Comentarios

Related Posts with Thumbnails